26 fevereiro 2012

Terra Sem Lei + Entrevista com o Autor!

Postado por Renato Nascimento às 18:39
Reações: 
2 comentários
Eaí Pessoal, tudo bem?
Hoje venho divulgar pra vocês um lançamento nacional super diferente dos outros, e com uma entrevista com o autor de bônus!


       Ibipiranga é uma pequena cidade localizada no interior do Ceará, entre as cidades de Fortaleza e Sobral. Situada numa região extremamente árida do sertão, mais precisamente no polígono das secas, a cidade faz jus ao seu nome, que em tupi-guarani quer dizer “terra vermelha”.
       Como uma cidadezinha do interior no inicio do século XX, Ibipiranga deveria ser um lugar extremamente pacato. No entanto, trata-se de um lugar dominado pelo poder e o autoritarismo de um único homem: Carlos Lucena, um rico fazendeiro que dá as ordens na cidade, tendo em suas mãos o Prefeito e o Delegado, e ainda tendo como braço direito o cangaceiro mais temido da região, o cruel Zé Caolho.
       Após descobrir uma jazida de granito nas terras de João Silva, o qual não as vende por dinheiro nenhum, o ambicioso Carlos Lucena ordena a Zé Caolho que elimine João e toda a sua família, composta por sua esposa e cinco filhos.
       Carlos Lucena não esperava, porém, que o filho caçula de João Silva, o menino Joãozinho, de apenas dez anos, escapasse com vida daquela chacina. Dezoito anos depois, João Filho retorna para Ibipiranga em busca de uma única coisa: vingança! Mas o jovem vingador, além de enfrentar Zé Caolho e seu bando de jagunços, terá que enfrentar também um forte sentimento que nutre por Vivian, filha de seu grande inimigo Carlos Lucena.
       Tem-se inicio então a um emocionante confronto de João contra seus inimigos, com batalhas de tirar o fôlego em meio ao árido sertão cearense, e ao mesmo tempo um intenso conflito de sentimentos, os quais o jovem vingador julgava estar preparado, mas que acaba sendo pego de surpresa por algo mais belo e mais puro do que ódio e vingança.
       Entre você também nessa empolgante história de aventura, romance e muita ação pelo sertão nordestino.

Book Trailer
 Você também pode conferir a resenha do autor aqui .

E agora, a entrevista! Quero agradecer ao Luis, ele foi muito gentil e respondeu rapidinho ;D 

Between Letters: Conte-nos um pouco sobre você.
Luis Boto: Sou natural de Ibiapina, Serra da Ibiapaba, interior do Ceará. Ainda no primeiro ano de idade mudei-me para Sobral, lugar onde moro até hoje. Ingressei na faculdade apenas em 2005, no curso de Ciências Contábeis da Universidade Estadual Vale do Acaraú, tendo concluído o bacharelado em 2011. Sou Servidor Público na Previdência Social desde 2003, casado e pai de quatro filhos. Amante das artes literárias desde a infância, li diversas obras de grandes autores e escrevi outros vários manuscritos para praticar o a escrita, e acabei me especializando em histórias em meio ao sertão nordestino, sempre envolvendo muita ação, perigo, mistério e uma boa dose de romance.

Between Letters:  Como surgiu o desejo de escrever um livro?
Luis Boto: Escrever um livro, uma história completa sempre foi um sonho para mim. Várias foram as tentativas frustradas, em que comecei a escrever e não terminava por um motivo ou outro. Ainda na infância escrevi vários rascunhos de diversas histórias que acabaram ficando perdidos no tempo. “Terra sem Lei” é, portanto, uma realização pessoal e uma experiência maravilhosa.

Between Letters:  Você teve a inspiração de algum autor (a)?
Luis Boto: Sempre procurei ler escritores nacionais, e por isso mesmo me identifiquei muito com histórias regionais como as de Domingos Olímpio, José Cândido de Carvalho e Ariano Suassuna. É claro que li alguns escritores estrangeiros como Arthur Conan Doyle e J. R.R. Tolken, os quais influenciaram bastante na minha forma de escrever.

Between Letters: Hoje em dia existem muitas pessoas querendo escrever um livro. O que você diria a elas?
Luis Boto: Eu escrevi os doze primeiros capítulos de “Terra sem Lei” em 2001, parei por vários anos para só concluir em 2010/2011. Portanto não desista! Por mais que demore a conclusão da obra, nunca deixe de escrever um pouco hoje, um pouco amanhã ou um pouco num mês e depois noutro, e assim por diante. Da mesma forma que existem escritores que levam três ou quatro meses pra escreverem um livro, existem outros que levam anos para terminar.

 Hora do Ping Pong!
Uma música: “Canção agalopada” – Zé Ramalho
Uma cor: Azul
Um livro: “O Coronel e o Lobisomem”
Uma frase: “Não há nada mais prazeroso do que fazer aquilo que você sabe fazer”
A vida é... “A maior dádiva. Aproveite-a ao máximo.”


Between Letters:  Como foi a trajetória para publicar seu livro?
Luis Boto: Após a conclusão do livro, em setembro/2011, passei a procurar na internet por editoras pequenas e que dessem algum apoio para novos escritores, pois depois de muito pesquisar, percebi que não adiantaria enviar os originais para grandes editoras, uma vez que elas sequer se dariam ao trabalho de ler a história. Enviei os originais por e-mail para várias editoras, onde várias me retornaram com o interesse puramente comercial, ou seja, queriam apenas produzir o livro e me vender toda a tiragem, o que não era do meu interesse. Mas para a minha grande surpresa, em pouco mais de um mês recebi o contato do Léo Kades, Editor-chefe da Editora Dracaena, mostrando bastante interesse na obra e com uma proposta de comercialização e divulgação do livro de uma forma que me agradou bastante. Praticamente na mesma semana fechamos o contrato. O resultado foi uma capa linda e um acabamento extremamente profissional, sem falar no book-trailer, que ficou maravilhoso!

Between Letters: Este espaço é seu, diga o que quiser!
Luis Boto: Primeiramente, gostaria de agradecer pela oportunidade e que foi muito bom fazer a entrevista. Aos leitores, fica a dica para conhecerem essa empolgante história de aventura, romance e muita ação pelo sertão nordestino, e que tenho certeza de que não irão se arrepender. Também quero agradecer aos leitores por gastarem um pouco do seu tempo lendo esta entrevista. Muito obrigado e espero que leiam “Terra sem Lei”, comentem e critiquem, pois somente os leitores definem o verdadeiro sucesso de uma obra literária.
Um grande abraço a todos!

Gosto bastante de entrevistas porque nos mostram um pouco do autor. Mais uma vez, muito obrigado Luis! Desejo todo o sucesso para você e sua obra! Que, aliás, é bem interessante. Nunca tinha visto nenhum livro neste estilo, mas é ótimo ver as editoras apostarem nos nossos talentos. E quem quiser me dar o livro de presente, estou aceitando o/

Encontre o autor:
Aproveite e também adicione o livro no Skoob. 

22 fevereiro 2012

Between Covers #4

Postado por Renato Nascimento às 12:00
Reações: 
0 comentários
Eaí Pessoal, tudo maneiro? 
Hoje vamos com mais uma edição da coluna Between Covers. Não deixem de comentar :]
Ah, muito obrigado ao Vergonha Literária pela dica de centralização de imagens! Nesse layout não consigo centralizar imagens, mas ela/ele me ajudou muito! Valew mesmo :D

Eu estou um pouco viciado na música "Home" do Michael Bublé. Todo dia ouço pelo menos duas vezes. Então, como sempre, decidi procurar um cover. Foi quase uma missão impossível, mas eu achei dois. 




Renato Enoch, meu xará o/ Ele canta bem pra caramba, e a música até que ficou boa na voz dele. Porém, não me agrada tanto, mas foi o mais legal que achei.
Uma música que ficou legal na voz dele foi Moves Like Jagger, do Maroon 5



Outra música que eu ando ouvindo demais é A Thousand Miles, da Vanessa Carlton. Mas como eu acho a voz dela um pouco enjoada, fico com o cover do Boyce Avenue feat. Alex Goot



E para finalizar hoje, a versão original de Home o/




Espero que tenham gostado, queridos leitores. E eu vou escrever a continuação de 'A Rainha das Terras Brancas', só estou pensando em um final bem maneiro :D Até mais!

16 fevereiro 2012

A Rainha das Terras Brancas » Conto

Postado por Renato Nascimento às 19:22
Reações: 
4 comentários




Eaí Pessoal, tudo beleza?
Peço desculpas pelo blog, tá meio abandonado, mas ainda não consegui conciliar tudo, mas aos poucos vou me acostumando e o blog vai voltando ao normal. Hoje eu decidi fazer uma coisa diferente... vou postar um trecho de um conto que estou escrevendo, e vocês, meus queridos leitores, me dizem se devo continuar. Sinceridade viu? É a primeira vez que tento escrever algo, então preciso saber a verdade :] A Inspiração veio do livro Bruxas, Bruxos e os Feitiços Mais Cruéis que se Podem Imaginar


A Rainha das Terras Brancas

É difícil descrevê-la. Alguns seriam frios e diriam que se chama Lílian e que é tão bela quanto uma deusa grega. Mas eu não direi apenas isso. Ela não era uma deusa grega, até porque as figuras não nos mostram tanta beleza. Ela era mágica. Sim, essa é a palavra certa, mágica. É capaz de fazê-lo sentir tudo o que há de ruim e de bom, fazê-lo praticar as virtudes e os pecados, e acima de tudo, fazê-lo amá-la da forma mais pura e obsessiva. Era uma garota ingênua, uma mulher persuasiva, uma senhora bondosa. Mas acima de tudo, ela era, é e será os seus sonhos e seus pesadelos. É assim que eu a vejo, e garanto a você que nunca encontrará igual. Mas Ronan a viu de uma forma diferente. Tudo o que conseguia enxergar era a beleza e o desejo, e nisto eu o entendo. Não é fácil desvendar uma pessoa na primeira vez que a vemos, mas assim que ela sopra uma palavra ao vento, podemos descobrir quem é. Porém, poucos possuem esse dom, e com nosso querido protagonista não é diferente. 
- Quem é você? - perguntou o jovem a mulher a sua frente, maravilhado com a sua visão. Rosto perfeito, cabelos negros como a noite que desciam pelas costas como cachoeiras de um mundo mágico. Olhos cristalinos como as águas do mais distante lago, porte de uma rainha, voz de uma fada. Ele não a conhecia pois nunca havia saído do pequeno vilarejo onde vivia com sua família. Pois bem meu caro leitor vê-se que ela era incrível, e que deixou nosso amigo totalmente paralisado. Foi um grande sacrifício permanecer perto sem tomá-la nos braços. 
- Sou Lílian, a Rainha das Terras Brancas. O que lhe traz aqui, jovem guerreiro? Poucos chegam até meu palácio sem cair nas tentações. Devo parabenizá-lo. - E com uma discreta mesura, voltou para o trono. Sorriu com os olhos, e convidou o garoto a se aproximar com um gesto simples. Aliás, tudo ali era simples. Uma sala circular, pintada de branco do teto até o chão. A única coisa que possuía cor no ambiente, além da nossa rainha, era a poltrona onde ela estava sentada. Tinha o formato de uma folha, e tinha um verde tão vivo quanto à copa de uma árvore selvagem. 
- Sou Ronan, Vossa Majestade. Vim das terras longínquas do norte para ajudar minha mãe, que está enferma. - Completou o rapaz com a voz trêmula, enquanto se aproximava de Lílian fazendo uma reverência tão grande que quase perdeu o equilíbrio quando voltou a ficar ereto. Ele olhou para a mulher esperando uma resposta, mas ela apenas continuou a fitá-lo, então ele prosseguiu. - A algumas semanas, ela adquiriu uma doença muito grave e agora não consegue nem sair da cama, Vossa Majestade. Somos camponeses e meu pai faleceu há anos, e agora, sou eu quem cuida da casa. Não temos dinheiro para pagar o curandeiro da vila... eu não sei mais o que fazer. Podes me ajudar, Vossa Majestade? - Ele achou que tinha falado mais do que devia, então fez mais uma das suas reverências exageradas e se afastou um pouco. Não me recordo quanto tempo ele ficou esperando uma resposta, mas para Ronan pareceram anos. Então, ela se levantou e caminhou até o garoto. Levantou seu queixo com o dedo indicador e olhou fundo em seus olhos. Isso nunca era bom. Lílian tinha o excelente dom de desvendar os desejos mais profundos de uma pessoa, e quando olhou para a alma daquele garoto, percebeu que ele faria tudo que pudesse para ajudar sua mãe. E essa foi sua perdição.


E é isso meus amigos :] Não esqueçam de dar a opinião, beleza? Muito obrigado a você que leu até o final :D

14 fevereiro 2012

O Enígma de Shalkas » André C. S. dos Santos

Postado por Renato Nascimento às 21:29
Reações: 
3 comentários
TÍTULO: Wood Shellboltou - O Enígma de Shalkas
AUTOR: André C. S. dos Santos
NÚMERO DE PÁGINAS: 60
AVALIAÇÃO FINAL: 3/5


O Enígma de Shalkas, é o primeiro volume da série Wood ShellBoltou. Wood é apenas um garoto curioso, que não tem ideia dos perigos que o cerca, quando resolve descobrir, de um vez por todas, qual o verdadeiro mistério de seu pai, que desapareceu à muito tempo. É guiado por seu avô e um diário, mas a verdade tem suas consequencias.

     Primeiramente, agradeço a Editora Mor por ter fornecido o livro, e parabenizo vocês pelo excelente trabalho que é o On-Book.
     A escrita do André flui super, super rápido além de ser detalhada no ponto certo. O enredo é super enigmático (magina, ninguém viu o título ¬¬), mas aí é que está... O on-book tem 60 páginas, mas parece mais uma introdução do que um livro realmente... quando a estória finalmente vai começar PUFF! O livro acaba e você fica com cara de amendobobo na frente do PC. Acho que ele devia ter colocado mais coisas, faltou um pouco de conteúdo.
      E justamente por essa falta de conteúdo fica difícil falar sobre os personagens e o desenrolar da estória, espero que entendam.
     Porém, apesar disso, tenho a certeza de que essa série será muito, muito boa, mas ainda acho que faltou mais coisas...


10 fevereiro 2012

Aviso Importante!

Postado por Renato Nascimento às 19:39
Reações: 
1 comentários
Eaí Pessoal o/
       Como vocês devem ter percebido, eu estou sem postar nada desde o dia 02, além de terem percebido que o layout mudou. Deu um pouco de trabalho adaptar esse do jeito que eu queria, as agora está melhor o/ Bem, voltando ao assunto do post, eu tô sem postar porque passei na ETEC. Não, isso não é uma explicação. Pois bem... agora, estudo de manhã e de tarde, e quando chega de noite, estou muito cansado e tenho lição pra fazer. Então, essa semana, vamos ficar sem posts por aqui, mas no fim de semana eu preparo os posts da semana tudo e deixo programado pra bostar, beleza?
Até mais :)

02 fevereiro 2012

Um Mundo Brilhante » T. Greenwood

Postado por Renato Nascimento às 06:00
Reações: 
1 comentários

TÍTULO: Um Mundo Brilhante
AUTOR: Tammy Greenwood
NÚMERO DE PÁGINAS: 336

QUANDO o professor Ben Bailey sai de casa para pegar o jornal e apreciar a primeira neve do ano, ele encontra um jovem caído e testemunha os últimos instantes de sua vida. Ao conhecer a irmã do rapaz, Ben se convence de que ele foi vítima de um crime de ódio e se propõe a ajudá-la a provar que se tratou de um assassinato. Sem perceber, Ben inicia uma jornada que o leva a descobrir quem realmente é, e o que deseja da vida. Seu futuro, cuidadosamente traçado, torna-se incerto, pois ele passa a questionar tudo à sua volta, desde o emprego como professor de História, até o relacionamento com sua noiva. Quando a conheceu, Ben tinha ficado impressionado com seu otimismo e sua autoconfiança. Com o tempo, porém, ela apenas reforçava nele a sensação de solidão que o fazia relembrar sua infância problemática. Essa procura pelas respostas o deixará dividido entre a responsabilidade e a felicidade, entre seu futuro há muito planejado e as escolhas que podem libertá-lo da delicada teia de mentiras que ele construiu. Esta, enfim, é uma história fascinante sobre o que devemos às pessoas, o que devemos a nós mesmos e o preço das decisões que tomamos.

     Poxa Novo Conceito, isso é livro que se lança? É tão... não sei definir. Quando comecei a lê-lo, disse que era um café da manhã completo. Quando terminei, ele era uma manhã de verão. Simples e emocionante, um livro que nos faz refletir sobre tudo o que fazemos e sobre todas as decisões que tomamos - desde a mais simples até aquela que pode mudar nossas vidas.
     Sabe, quando eu leio um livro, eu não gosto de analisá-lo criticamente, mas emocionalmente. Uma resenha tem sim que conter uma parte "física", mas um livro é feito, acima de tudo, para fazer os leitores sentirem as mais diversas emoções. O que eu vejo hoje em dia é que as resenhas são uma grande bola de neve na cara dos leitores. Não gosto disso.
     Voltando a falar do livro, a narração é tão simples e tão poética que me prendeu desde a primeira frase.
Os personagens são bem feitos, teve até momentos em que eu queria entrar no livro e bater no Ben, dizendo pra ele fazer a escolha certa daquela vez. Acima de tudo, o livro é uma lição de vida completa. É mais um daquele livros que ficam guardados na memória e que quando você for mais velho, vai relê-lo e tirar uma lição mais valiosa ainda. É um livro que evolui com você e te mostra a realidade.
     Tammy Greenwood não só conseguiu me fazer pensar, como também conseguiu construir uma situação complicada, e ainda nos mostra como uma simples ação pode desencadear uma série de acontecimentos, até virar uma avalanche. Também nos mostra as mentiras - principalmente as sem motivos - que acontece quando o relacionamento está tão firme quanto gelatina. Ben mente muito para Sara, talvez por medo, para se sentir melhor. São mentiras simples no começo. Se ele esta comendo um cheeseburger numa lanchonete, diz que está almoçando no restaurante ao lado. Mentiras tolas, que parecem sem sentido, mas que você entende no final do livro.
     Falando no final, foi uma decepção. Realmente achei que o Ben faria outras escolhas, que levantasse a cabeça... mas o entendo. Entendo a decisão que tomou, faz sentido, mas não acho que seja a mais correta. Mas o livro mostra a realidade, o que realmente acontece e não um "felizes para sempre"
Um livro completo: te faz sentir, te faz pensar. Perfeitamente perfeito, mais do que recomendado.

OPINIÃO COM SPOILER (desculpa pessoal, eu preciso falar sobre o fim do livro, passe o mouse para ler)
Eu podia jurar que o Ben ia ficar com a Shadi. Achei ele meio tonto, mas depois que parei pra refletir... Aquela foi a forma que ele achou de se redimir por todos os anos com a Sara, mas eu ainda acho que ele não precisava das desculpas delas, ele precisava se perdoar a si mesmo. Mas isso é o que realmente acontece no dia-a-dia.

01 fevereiro 2012

Between Covers #3

Postado por Renato Nascimento às 18:39
Reações: 
0 comentários
Eaí Pessoal, tudo bem?
Hoje vamos com mais uma edição de Between Covers o/ Desta vez, não vou falar de um artista em especial, vai ser uma coisa mais solta, entendem? Então, vamos lá o/



O Primeiro vídeo é de uma das minhas músicas favoritas, Good to You, da banda canadense Mariana's Trench. O Brock e a Tianda tem uma harmonia muito boa, e parece até que eles estão brincando :)


O segundo vídeo é um "cover" de Need You Now (Lady Antebellum), cantado pelo mesmo carinha do vídeo daí de cima. Ele é um pouco famoso po aí, mas eu não gosto das músicas atuais deles, ficaram muito parecidas com Adam Lambert, acho que a fama subiu a cabeça, rs. 

Eu não podia deixar de mencionar Maddi Jane aqui neste post o/ Ela tem uma voz muito muito muito boa, gosto bastante. Aqui ela canta Price Tag, da Jessie J.

E claro, não podia faltar um cover de Skyscraper (Demi Lovato) aqui o/ Decidi colocar o cover da Maddi porque ficou muito bom mesmo!

E pra finalizar por hoje, vamos de Maddi Jane de novo o/ (já fazia tempo que não ouvia ela). Agora é um cover de Jar of Hearts, da Christina Perri

E é isso pessoal :D Espero que tenham gostado desse Between Covers o/ Tenham uma ótima semana e não deixem de participar da promoção do kit A Janela de Overton
 

Marco do Percurso Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Modificado por Renato Nascimento