02 julho 2012

Resenha » Estilhaça-me

Postado por Renato Nascimento às 14:42
Reações: 

Estilhaça-me
Tahereh Mafi – 304 páginas – Editora Novo Conceito


sinopse

  Juliette nunca se sentiu como uma pessoa normal. Nunca foi como as outras meninas de sua idade. O motivo: ela não podia tocar ninguém. Seu toque era capaz de ferir e até matar.
  Durante anos, Juliette feriu e, segundo seus pais, arruinou o que estava à sua volta com um simples toque, o que a levou a ser presa numa cela. Todo dia era escuro e igual para Juliette até a chegada de um companheiro de cela, Adam. Dentro do cubículo escuro, Juliette não tinha notícias do mundo lá fora.   Adam ia atualizando-a de tudo.
  Juliette não entendeu bem o que estava acontecendo quando foi retirada daquela cela e supostamente libertada, ao lado de Adam, e se vê em uma encruzilhada, com a possibilidade de retomar sua vida, mas por caminhos tortuosos e totalmente desconhecidos.

"C-como você pode se importar com alguém... como eu? — Mal respiro, nervosa e petrificada, mas de algum modo fito seus lábios, estudando seu corpo, contando as gotas d’água despencando das colinas e vales da sua boca. 
 — Porque estou apaixonado por você. "
(Pág. 154, Capítulo 26, Sétimo e Oitavo Parágrafo)


 Minha busca acabou. Finalmente um livro sobre mutantes (agora não precisarei mais escrever um!)
 Brincadeiras à parte, Tahereh (não sei pronunciar isso) Mafi me surpreendeu. No começo, o livro é um tanto quanto confuso, mas é só uma questão de se adaptar com a narrativa que fica tudo bem.
 A narrativa, no meu ponto de vista, é quase uma poesia. Os personagens são bem feitos e fico feliz por odiar o Warner (apesar de achar que ele precisa de um psicólogo) e querer proteger o pequeno James. 

“Possessivo não é uma palavra forte o suficiente para Warner”
(Pág 117, Capítulo 21, Sexto Parágrafo)

 Apesar de ser bem desenvolvido, o livro é bem previsível, o que é um ponto bem chato. Talvez a parte mais “OH!seja o final, mas mesmo assim achei a coisa toda bem parecida com X-Men, o que me deixou feliz, afinal, gosto pra caramba de X-Men e achei super legal mutantes descritos com palavras. Faltou originalidade, mas eu gostei mesmo assim. Vale a pena a leitura pra passar o tempo. 





1 comentários:

Kézia Lôbo on 2 de julho de 2012 19:25 disse...

POis é o livro é bem previsivel mesmo, e tem momentos tem umas coisas óbvias que é até engraçado, eu confesso que ngostei da história dos mutantes, mas com o poder dela nao conseguia parar de pensar na vampira dos Xmens!

Postar um comentário

 

Marco do Percurso Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Modificado por Renato Nascimento